Archive for Março, 2013

h1

livro de memórias de bebum

Março 19, 2013

 

 

O problema de ter sido o tipo de bebum que fui por duas décadas é que sou um bêbado que não cai… mas vai destruindo tudo pelo caminho: latas de lixo, pratos, copos, relacionamentos…
E agora aos 42 anos gostaria de escrever um livros de memórias, só que eu não lembro de porra nenhuma…

h1

blues jam

Março 15, 2013
h1

Março 15, 2013
h1

road trip

Março 15, 2013

Acordo às 2 da manhã nesse hotel de 15 reais lado da rodoviária de Umuarama./PR.  Já tava na hora de me mandar dali. Há mais de semana sem celular e ninguém conhecido sabia por onde eu andava. Liberdade preocupante (pros outros) e sem preço (pra mim). Just can’t stay one place too long sempre nos meus ouvidos, me impulsionando pra próxima cidade… Tava a fim de uma cerveja de café da manhã e logo encontrei uma conveniência de posto de gasolina. Gosto delas. Sempre pronta pros últimos bêbados…Depois do sossego adquirido pós 3, 4 latinhas comecei a pensar pra que lado deveria me mandar e lembrei que não devia estar tão longe do Paraguai, onde meu dinheiro automaticamente se multiplicaria por 3. Tentador! Descobri com o frentista-barman que tinha uma cidade fronteiriça, Salto del Guaira uns cento e pouco kilômetros dali. Ah, tinha achado minha próxima encrenca… Empolgado, voltei pro hotel, embacei o resto do dia pela cidade e peguei um ônibus que me deixou na estrada, na linha Brasil-Paraguai, perto de meia-noite. Com guitarra nas costas resolvi atravessar a fronteira a pé até chegar na tal cidade que nunca tinha nem ouvido falar. Passei quieto pela aduana(policia) brasileira, não queria perder tempo explicando por que tava fazendo o caminho inverso do contrabando com aquela guitarra nas costas, andei alguns quilômetros e encontrei com a aduana paraguaia e com caras  alegremente malandros me oferecendo carona, taxi, etc  por algum trocado. Me senti um magnata gringo pronto pra ser explorado…Agradeci e me mandei a pé até as primeiras placas de Bievenido a Salto del Guaira pra descobrir que era aniversário da cidade e encarar 4 dias de festas na rua… com muito mais coisa boa que se tem direito do que qualquer carnaval pentelho de Salvador, se é que você me entende… (continuo, um dia a lembrar do resto. Se conseguir….)