Archive for Janeiro, 2013

h1

yes yes Bukowski

Janeiro 31, 2013

when God created love he didn’t help most
when God created dogs He didn’t help dogs
when God created plants that was average
when God created hate we had a standard utility
when God created me He created me
when God created the monkey He was asleep
when He created the giraffe He was drunk
when He created narcotics He was high
and when He created suicide He was low

when He created you lying in bed
He knew what He was doing
He was drunk and He was high
and He created the mountians and the sea and fire at the same time

He made some mistakes
but when He created you lying in bed
He came all over His Blessed Universe.

(Bukowski)

h1

uma quarta-feira qualquer

Janeiro 20, 2013

Nunca aprendeu a meditar direito
Sabe que ama algumas pessoas mas nunca foi bom em se comportar de acordo
Anda rápido de skate, quieto, colocando sempre a cabeça de volta ao corpo, colocando seus pingos nos “is”
Se emociona escondido, ouvindo velhas baladas de Bruce Springsteen
Tenta entender porque tamanha beleza se sente e é difícil de ser compartilhada
Sente falta da sua banda de rock and roll que não precisa de palavras pra se comunicar, pra se entender
Notas certas e sorriso de bagunceiro  confidente,  encorajador no nosso palco
No meio tempo sai na porrada com o ladrão que agrediu aquela senhora na Avenida  Paulista
Chama a polícia e diz que tá tudo bem e que vai esperar sua filha vir te buscar
Elas dizem que fui um anjo
Não conseguindo julgar nem ladrões,
sorrio e consigo me ver culpado convicto dos próprios erros
Elas não precisam não gostar de mim também, não?
Uma quarta-feira qualquer…

h1

2013

Janeiro 20, 2013
Na estrada sorrindo com o vento
Na cara, sol e calor do centro do país
Você, que na verdade nunca quis estar em lugar algum por muito tempo
A rotina que me deixou morto à beleza do mundo agora está morta
O silêncio tão pouco executado agora me acompanha
As ilusões e alusões de briga já foram vencidas
E a falta de qualquer coisa  já não existe mais
E agora, lugar à paz,  abrigado pelas estrelas de qualquer céu, de todas as minhas cidades
h1

vida que acaba

Janeiro 11, 2013

Mensagens de minha mãe:

ontem – “Seu avô continua na mesma, pressão sete por cinco e não fala. Seu pai vai passar a noite com ele. Bjs”

Hoje – “Seu pai dormiu pouco durante esta noite. Seu avô continua na mesma: não fala e o estado de alguns órgãos se agravou. Bjs”

—-

Fui criado em São Vicente e durante férias escolares da minha infância e começo de adolescência (um pouco antes daquela fase que você vira um “gênio”, “sabe de tudo” e quer sair de casa pra ser independente) passava férias no Mato Grosso do Sul. Eram verões muito bacanas pra um garoto criado no mar, mas na cidade. Poder subir em árvores pra comer manga e andar com o pé no barro por dias…Minha avó sempre com chipas prontas a me esperar e suas casas simples e confortáveis, de madeira. Eu as devorava com gosto. E ela fazia mais. Todos os dias. E meu avó sempre descolando um cavalo pro moleque aqui dar uma banda pelo mato… A única vez que ele me deu uma bronca foi quando ele me descolou um cavalo acostumado a puxar charretes pra eu andar. O pirralho tava a mil por hora, não acreditando como o bicho era rápido! Acostumado a puxar peso, né? Voa sem…Ele ficou puto e me mandou ir mais devagar…Só isso.
Lembro de uma vez que viajei de trem de Bauru pra Campo Grande. A viagem levava 24 horas na época. Era um barato! Puta aventura prum garoto da cidade… A gente comendo galinha caipira com farofa que minha avó matava e cozinhava, e que estavam sempre correndo pelo quintal.
Faz anos que não o vejo e parece que não vou poder me despedir. Mas o cara é um touro! Tá brigando pela vida aos 95 anos numa cama de hospital… Vendo ETS, minha falecida avó, amigos mortos e alguns caras que ele matou em tempos de brigas de família …
Fica na boa, velhão. Tua hora de curtir o outro lado da parada com quem veio te buscar porque te ama e que te fizeram falta por aqui

h1

Janeiro 3, 2013

Tem um lugar que eu vou quando não quero me ver
perto dos outros não curto o que aparece em mim
e com o passar da noite a coisa não melhora,
e eu pioro não me importando
tem um lugar que eu vou só pra ver os outros ao longe
E anda longe demais pra achar o caminho de volta