Archive for Dezembro, 2010

h1

Feliz Páscoa

Dezembro 30, 2010

Foi um ano bom. O de mais paz desde que cheguei em São Paulo. Também de muita música, risadas e porres com amigos. Do que mais eu preciso? Uma garota  inteligente, de um puta bom humor, que me deixa ser o que sou e é um furacão na cama? Ok, tive também. Ela é bem  mais que isso, mas não vamos ficar sentimentais,  né? E, é claro que vou fechar o ano como comecei.  E o levei. Fazendo o que me interessa:  tocando guitarra. Os amigos vão aparecer com seus instrumentos e tocaremos. Provavelmente até o amanhecer, como foi no Basayala. Vai ter a farra de sempre com os sons do Saco de Ratos, comigo e Bortolotto e a moçada acompanhando nossas músicas. Vai ter a parte blues clássico com Caião,  Basa e Mr La Barba na gaita e voz. Vai ter o Ziggy. Talvez o Jackson com Rolling Stones. Quem quer pular ondinhas com um programa como esse?

Coletivo Galeria – R dos Pinheiros, 493. E tem que levar o que for consumir. Bebidas e comida. Eu e Marião já estaremos por lá antes da meia-noite. Ceia de bêbado é Jack Daniel’s.

Anúncios
h1

Blues

Dezembro 30, 2010

Já coloquei isso por aqui e já devo ter falado a mesma merda. Mas quando Bortolotto postou esse poema tempos atrás, falei pra ele não deixar ninguém musicá-lo. Ele era meu!   Fizemos uma bela balada dele. Corta pulsos.Vai estar no próximo disco do Saco de Ratos. Uma das coisas mais belas e tristes que já tive o prazer de ler.

BLUES

 

Como levar alguém que vai morrer

pra ver o sol nascer

como se fosse a primeira vez

 

Como um garoto cruzando o Atlântico num barco a vela

 

Como uma jovem mãe que perde o filho

no parque de diversões

 

Tipo esses filmes ruins que me fazem chorar

como um idiota que perdeu a paz

 

Como o garoto solitário

que entra de penetra na festa de aniversário

 

Como o filho cobrindo os pés do pai

a beira da morte

 

Como o viciado contando os dias

que permanece limpo

 

Como alguém que desistiu de ver o por do sol

 

Como alguém fechando a tampa do piano

 

Como alguém que você espera

entrando pela porta

 

Como alguém que você sempre esperou

e que nunca vai entrar

 

Como aquela mulher que não vai voltar

 

Como aquelas desavenças que nunca deixamos pra lá

 

Como aquelas coisas que julgávamos indispensáveis

e que depois de muitos anos

encontramos no vão do sofá

h1

Uma de mr. Bukowski

Dezembro 27, 2010

Orador debaixo de mau tempo

por Deus, não sei o que fazer

elas são tão legais de se ter por perto

ela têm um jeito de tocar as bolas

e olhar para o pau muito seriamente

virando-o

puxando-o

examinando cada parte

enquanto seus longos cabelos caem sobre sua barriga

não é apenas o foder e o chupar que alcançam o interior do homem

e o amaciam, são os extras,

está tudo nos extras

 

agora é noite e está chovendo

e não há ninguém

estão todas em outros lugares

examinando coisas

em novos quartos

com novo humores

mesmo que em velhos quartos

 

seja o que for, é noite e está chovendo,

uma chuva torrencial, maldita e pesada…

muito pouco a fazer

já li o jornal

paguei a conta do gás

a conta da luz

a conta do telefone

continua chovendo

 

elas amaciam um homem e então o deixam a nadar em seu próprio suco

 

preciso de uma vagabunda no velho estilo

batendo à porta esta noite

fechando seu guarda-chuva verde

gotas de chuva enluarada sobre sua bolsa

dizendo, merda, cara, não consegue achar uma música melhor do que essa no seu rádio? e aumente o aquecimento…

é sempre quando um homem está tomado de amor e tudo o mais

que continua chovendo

alagadoura

encharcante

chuva

boa para as árvores e para a grama e para o ar…

boa para coisas que vivem sozinhas

 

eu daria qualquer coisa pela mão de uma fêmea em mim esta noite

elas amaciam um homem e depois o deixam escutando a chuva

h1

Dezembro 26, 2010

Sozinho andando pela areia da praia. Nadando sozinho, andando de bicicleta pela orla sozinho. Sentado atrás desse computa escrevendo essas linhas. Sozinho. Somos todos um tanto quanto solitários, não? Sim. Muitas vezes. Natal é uma época que gosto. Gosto da melancolia que me soca a cara. Gosto. Mas também gosto quando vai embora.



h1

Foi-se

Dezembro 23, 2010

Natal, né? Vejo a cidade se acalmando aos poucos. Bom ver isso. Bom também não ter compromisso algum de fim de ano. Prezo muito minha liberdade. Talvez por isso tenha odiado estar casado. Sei que hoje toco guitarra, como faço o ano todo, com meus valorosos amigos. É o que me faz estar vivo. Amanhã nem sei o que vou fazer. Talvez caia pra praia. Talvez caia pro bar de novo. Tá tudo certo. Meu ano foi bom. Toquei muito, viajei bastante. Tive paz, além de tudo. Muitas risadas inocentes com os amigos de sempre. E com uma nova bela mulher que me apareceu do nada. A gente se diverte junto. Mas sou meio cabreiro. Daqueles que desconfia quando a esmola é muita. Mas que venha 2011. Tô de pé ainda.

 

Eu e Dino (vocal do Golpe de Estado) farreando na Coletivo Galeria.

h1

bye

Dezembro 21, 2010

Tocamos em Presidente Prudente ontem e peguei o busão cinco da manhã direto pra Sampa. Acordei na rodoviária do Tietê. Que maravilha. Curto a estrada, mas paradoxalmente curto não vê-la passar também. E sinto essa cara de fim de ano no ar. Gosto disso. Vou passar em São Paulo. Ainda não sei o que vou fazer no Natal e Ano Novo. Na verdade nem quero saber. Mas ainda vamos tocar…quinta na galeria pra curtir…e quero ir no Damis beber algo hoje…foi um bom ano.

h1

Basayala 2010

Dezembro 20, 2010

Sabia que ia ser uma festa daquelas. Muita gente confirmando presença via facebook. Os aniversários na Coletivo Galeria costumam ser eventos malucos inesquecíveis. De amizade e sempre muito rock and roll e boa música em geral. Comecei o sábado bebendo uma cerveja em paz com os amigos do centro e me mandei pra mais uma Roda de Rock. Lá fui presenteado com a autobiografia de Mr Keef pelo Zappa. Valeu, irmão! E tocamos…de Elvis à Big Bill Broonzy. De Clapton à Stray Cats. Era só o começo…

De noite, Galeria lotada mas paramos no Damis pra beber uma com o Ricardo enquanto ele fechava seu bar. A festa foi muito divertida. Fotos do Facebook comprovam. Mas o que não acreditei foi quando, de cima do palco, saquei que já era dia.  E a gente lá, ainda fazendo uma pá de blues e Rolling Stones.

O som não parou um minuto. Músicos se revezando no palco, interagindo, todos amigos e competentes na sua arte. Mais de 6 horas de som ao vivo.

E pra fechar com chave de ouro, William me liga às 10 da manhã dizendo que passou mal, subiu pro andar de cima da galeria pra dar um cochilo e acordou aquela hora, sozinho e trancado. Parece final de filme de comédia pastelão Hollywoodiana. Foi de acordo. Chave de ouro.

 

 

rolou muito disso:

 

http://www.myspace.com/osvigaristas/music/songs/i-just-wanna-make-love-to-you-40876906