Archive for Julho, 2010

h1

That’s all folks.

Julho 30, 2010

Só porque eu fiquei bebendo até cedo com um grande amigo, evitei ou provoquei alguma briga, não sei ao certo; acordei alcoolizado, peguei meu pior violão e quis cantar essa música que, pra mim, faz todo sentido. Sabe, meu pai me pagou um curso de inglês quando eu era garoto. Devo mais isso a ele porque saco algumas coisas sem precisar traduzir porra nenhuma. E isso me criou. Me emociona como nada. Sei que não sou o único aqui. Também ouvi Peter, Paul and Mary num disco dele a primeira vez. Na época não sabia que isso era Bob Dylan. Valeu.

Don’t Think Twice, It’s All Right

It ain’t no use to sit and wonder why, babe
It don’t matter, anyhow
An’ it ain’t no use to sit and wonder why, babe
If you don’t know by now
When your rooster crows at the break of dawn
Look out your window and I’ll be gone
You’re the reason I’m trav’lin’ on
Don’t think twice, it’s all right

It ain’t no use in turnin’ on your light, babe
That light I never knowed
An’ it ain’t no use in turnin’ on your light, babe
I’m on the dark side of the road
Still I wish there was somethin’ you would do or say
To try and make me change my mind and stay
We never did too much talkin’ anyway
So don’t think twice, it’s all right

It ain’t no use in callin’ out my name, gal
Like you never did before
It ain’t no use in callin’ out my name, gal
I can’t hear you anymore
I’m a-thinkin’ and a-wond’rin’ all the way down the road
I once loved a woman, a child I’m told
I give her my heart but she wanted my soul
But don’t think twice, it’s all right

I’m walkin’ down that long, lonesome road, babe
Where I’m bound, I can’t tell
But goodbye’s too good a word, gal
So I’ll just say fare thee well
I ain’t sayin’ you treated me unkind
You could have done better but I don’t mind
You just kinda wasted my precious time
But don’t think twice, it’s all right

———-

ha…Dylan…eu não tô dizendo que você me tratou…você podia ter feito melhor, mas eu não me importo…

 Não tem porque chamar meu nome alto agora, garota…como você nunca fez antes…eu não posso mais te ouvir…

eu tô andando pela estrada e divagando que um dia eu amei uma mulher, me disseram que era apenas uma garota…

eu dei a ela meu coração, mas ela queria minha alma…

—————–

Anúncios
h1

2 livros

Julho 30, 2010

Exagerei no rolê de skate hoje. Até o Ibirapuera, voltas por lá e de volta ao centro. Enquanto tento descansar um pouco antes do nosso show à meia-noite, ouço bons rocks na Kiss FM, leio Uma temporada no Inferno com os Rolling Stones e uso um pouco esse lap top da Carol. Ela diz que posso usar pra ela pagar pelos dias que está dormindo aqui em casa. Besteira. Ela não sacou que isso aqui é um tipo de albergue para amigos mesmo? O sono não bate então  fuço uns blogs e colo aqui mais um poema do livro novo do Bortolotto. Já li inteiro. Já tenho há um tempo. Se você não for trouxa, não ver perder esse lançamento.

UM LUGAR LEGAL PRA ESTAR

(WHEN THE MUSIC STOPS)

Ela me disse casualmente

que havia notado a mancha de sangue na minha camisa

Disse a ela: Não se preocupe, não é nada

Ela respondeu: Eu não tô preocupada

Resmunguei: é melhor assim

Achei que podia me divertir um pouco

assistindo uma luta de boxe na tv

Tirei a camisa manchada de sangue e joguei no tanque

Ela vestiu uma micro-saia e saiu pra rua

Abri uma cerveja e resolvi esperar

Os ponteiros do relógio eram guilhotinas no meu pescoço

Quando ela voltou, não falei nada

Fiquei no escuro vendo ela se mexer

deixando cair sua saia

no caminho pro banheiro

Deixou a luz acesa e ouvi o barulho

não vou usar de eufemismos nesse momento

pra dizer o que ela estava fazendo

somos um casal com tempo de serviço

nossa indiferença mútua provava isso

meu enorme peso no sofá atestava isso

Ela acendeu um cigarro no escuro da sala

e a chama do isqueiro fez com que ela me notasse

é mais difícil do que você imagina“, ela disse

e o seu desprezo me acertou como um blefe de pôquer

Ainda ficou um tempo olhando pra mim

antes de vencer o orgulho e perguntar

O que era a mancha na sua camisa?

Já disse. Não é nada. Não precisa se preocupar

Ela soltou um foda-se e foi pro quarto,

deitou e ficou fumando olhando o teto

Levantei e fui até o banheiro

Cambaleei e tive que me apoiar na porta

Abri o armário e peguei o mercúrio cromo

ou você não sabia que a maioria das histórias de amor

terminam com alguém limpando as feridas?

detalhes:  http://atirenodramaturgo.zip.net/

h1

Julho 29, 2010

E eu continuo me encantando por você. Eu gosto como a gente se comporta em público. Mas também gosto como a gente não se comporta entre quatro paredes. Eu no meu canto, você sempre no seu. Eu bebendo minha cerveja, você bebendo seu whisky. Eu fingindo não me importar por você não me dar bola, você fingindo não me dar bola e nem se importar. Eu conversando com uns desconhecidos e fugindo do mala do seu vizinho, você no outro canto da bar pedindo um copo sem gelo e rindo sozinho, nem pensando em me ajudar. E quando chega certo horário você some com uma garotinha qualquer. Eu me desespero e olho um cara qualquer. Mas você volta, eu volto, e a noite continua… Eu finjo não sentir ciúmes e digo que está tudo sempre ok. Você finge que sente ciúmes e diz que está tudo ok. Você diz que tal frase é a minha cara. Eu digo que não me identifico em nada. Eu declaro meu segredo e exponho meus gostos nojentos. Você curte o lance nojento e diz que cavalo de corrida toma mais banho que você. Você diz que sou uma puta mulher naquelas circuntâncias. Eu penso que você é um puta homem em todas as circunstãncias. Você me pede água e eu fico puta. Eu te trago água e você fica puto. Mas tudo isso é porque a melancolia se esconde quando seguro a sua mão. Eu sonho em ter um filho. Você sonha em ter um filho. E a gente sabe que nunca vai ter um filho juntos.

(um texto bacana de Helena Hutz)

h1

Poema e loucura

Julho 29, 2010

Hoje é o último show do Saco de Ratos no Café Aurora. Quem quiser, apareça. Meia-noite.

Esse fim de semana rola lançamento do novo livro de poemas de Mário Bortolotto. Sexta na Mercearia de sempre. Aqui fica o Blues. A gente tranformou em música do Saco de Ratos. Tá um puta livro. Não aconselhável pra pessoas de estômago e nervos fracos:

BLUES

Como levar alguém que vai morrer

pra ver o sol nascer

como se fosse a primeira vez

Como um garoto cruzando o Atlântico num barco a vela

Como uma jovem mãe que perde o filho

no parque de diversões

Tipo esses filmes ruins que me fazem chorar

como um idiota que perdeu a paz

Como o garoto solitário

que entra de penetra na festa de aniversário

Como o filho cobrindo os pés do pai

a beira da morte

Como o viciado contando os dias

que permanece limpo

Como alguém que desistiu de ver o por do sol

Como alguém fechando a tampa do piano

Como alguém que você espera

entrando pela porta

Como alguém que você sempre esperou

e que nunca vai entrar

Como aquela mulher que não vai voltar

Como aquelas desavenças que nunca deixamos pra lá

Como aquelas coisas que julgávamos indispensáveis

e que depois de muitos anos

encontramos no vão do sofá

———————-

e um mail de maluco amigo meu que não vejo há mais de década. Saiu rodando o mundo por aí e não voltou…

…entao, to aqui em florianoplois, cidade pequena, calma, uma blibioteca de estomago de dragao, gente p la e pa ca na universidade e fico so olhando o formigueiro do vai e vem, ta bom aqui, agora chove e faz frio, o estomago do dragao e quente la ficamos um tempo entre um e outro escrito depois o dragao tosse fogo e somos subtraidos pela sirene das nove ja a fera tem que dormir e abrira sua boca cedinho…
…, igual de vagabundo itinerante pra nao se sabe onde depende quase sempre e sempre ha fatores internos que nos internam no manicomio da mesma coisa segura de sempre e la fora a chuva molha as plantas nada preocupadas , sim agradecidas…depois e uma cunversa de passarinhos tao animada que so pode ser bom sair voando logo apos a chuva….
….se ja reparou que agua nao desafina nunca, se pode passar a vida escutando aguas de toda classe, mesmo a descarga carregada de cagada velha soa bem qualquer hra , a agua falando no cano de plastico, depois brigando com a bosta e por final ela encera num trago seco seu ultimo sim e nao sonoro, porem logo seu cumplice cano derrama na caixa plastica o proximo son de mijo minguado de mulher…
… a pia que diz tdo a noite inteira cumplice da solidao ou nao, o copo que se enche de algo, a chuva que repica no vidro chamandonos a atencao que la fora ta foda e que aqui dentro ta seco, e no final Borges disse que faria tudo diferente, falou ja sentado nos 80 e la vai fumaca que queria ter tomado mais banho de chuva e menos remedio!!!!
…vamos escorendo por ai meu caro!!!!
…e vce tdo bem , tdo em ordem, “nao pise na grama, nao fume , nao beba”, nunca me esquecerei que musica!!! vce ainda toca esta!!!
um grde abraco,”
Que foto. Lourenço Mutarelli, Paulo Cézar Pererio e Mário Bortolotto num show do Saco de Ratos nos tempos do Teatro X. Esses caras tem muito em comum…
h1

Noite, por Stockler

Julho 28, 2010

h1

Road concerts

Julho 27, 2010

Foram quatro show em três dias. Chegamos em Londrina –  hotel bacana, internet depois cama. Fim de tarde fui beber umas cervejas com a Cris (ex-Bortolotto) no seu espaço Vila Cemitério de Automóveis. Batemos um papo e de quebra ainda ouvi uns caras tirando um puta som instrumental de responsa. Gostei muito do guitarra, Mizão. Puta talento. Batistela tava na batera. Sem comentários. Esse cara é um maluco de sensibilidade afiada. Músico único. E olha que não somos da mesma praia musical. Dia seguinte seguimos para Paranavaí. Público muito a fim do som do Made in Brazil. Farra boa. Bebi boas doses de J Daniels. Mas tinha que pagar (barato – 7 reais) e ainda dividir com o dono do bar. Ha. Folgado da porra esse Cícero. Figura gente boa. Noite já estávamos prontos pra tocar no Tribo’s de Maringá. Gosto do lugar. Dono rockeiro sonhador camarada, o Junior. Outra noite boa. Dia seguinte show em Santo Anastácio, perto de Presidente Prudente. Pra minha supresa tinha uns garotos que rodaram de Campo Grande/MS (mais de 400km) só pra ver a banda. Que barato. Dá até uma certa ponta de inveja. Não faço mais essas loucuras. Músico envelhece também. Mais devagar, mas envelhece. Bom ver os caras por lá curtindo como só garotos rockeiros autênticos são capazes. Se emocionaram…me emocionaram.

e essa letra é pra dizer porque acho Brian Jonhson um zémané perto de Bon Scott. Puta letra pra mulher. Tive pouquíssimas que mereceriam uma música assim. Mas elas estão por aí…

TOUCH TOO MUCH

It was one of those nights
When you turned out the lights
And everything comes into view
She was taking her time
I was losing my mind
There was nothing that she wouldn’t do
It wasn’t the first
It wasn’t the last
She knew we was making love
I was so satisfied
Deep down inside
Like a hand in a velvet glove
CHORUS:
Seems like a touch, a touch too much
Seems like a touch, a touch too much
Too much for my body, too much for my brain
This kind of woman’s gonna drive me insane
She’s got a touch, a touch too much
She had the face of an angel
Smiling with sin
A body of Venus with arms
Dealing with danger
Stroking my skin
Let the thunder and lightening start
It wasn’t the first
It wasn’t the last
It wasn’t that she didn’t care
She wanted it hard
And wanted it fast
She liked it done medium rare
CHORUS
Seems like a touch, touch too much
You know it’s much too much, much too much
I really want to feel your touch too much
Girl you know you’re getting me much too much
Seems like a touch
Just a dirty little touch
I really need your touch
Cause you’re much too much too much

h1

RATONES

Julho 27, 2010