Archive for Outubro, 2009

h1

Angela Ro Ro

Outubro 29, 2009

Tava lendo sobre ela no blog do Marião e lembrei dessa letra fudida. Assim vivo, assim vivem meus amigos, que são as pessoas que realmente respeito. O resto? Bom, meio que foda-se.

 

Meu mal é a birita

 

Toda a vez que eu vou tomar
Birinight
Qualquer coisa em qualquer bar
Você logo diz aflita
Birinight
Que o meu mal é a birita
E é…
Eu bebo e pago prá ver você ficar mais bonita
Quando grita que eu, se não parar de beber
Vou acabar meu viver num copo de ilusão
E então tremendo com a mão aponto o grande culpado
Um coração magoado
Que ama feito criança, mas só entra na dança
Quando embriagado
Quase sempre reclamando
Birinight
Bar em bar vamos rodando
E se um dia eu parar
Birinight
É sinal que eu aprendi a amar
Enquanto isso não vem eu faço o que me convém
E o que bem me apraz
Se não for bom prá você vá procurar outro alguém
Que beba menos e que ame mais
Porque o meu é a birita
Birinight
Eu não vou parar de beber!!!

h1

Tirado do blog do meu chapa Bortolotto

Outubro 29, 2009

“Quem quer saber de um poeta na cidade do rock? / com uma ficha e ninguém pra ligar / num dos 527 orelhões dessa cidade vazia?”

(Chacal)

 

“Tava falando sobre isso com a Paulinha ontem. Quantas vezes eu só tinha uma ficha pra ligar pra garota. E tentava dizer o que sentia. Mas eram só três minutos. Nunca consegui dizer o que precisava em três minutos. Eu preciso de mais tempo. Às vezes não consigo dizer o que sinto por anos. E as pessoas ainda me perguntam quando é que vou pegar mais leve. Caramba. Então a ficha caía. E todas aquelas coisas tão necessárias, precisando ser ditas, confissões abortadas, palavras fundamentais engasgadas. Um cara solitário com um telefone inutíl na mão, uma noite incrivelmente bonita e alguém do outro lado da linha, precisando ouvir o que esse cara tinha pra dizer. Desde muito jovens, nos acostumamos com essa sensação de inevitável infelicidade. Então do que é que estamos reclamando hoje?”

 

 

 

Achei bonito.

h1

Leminski e meus amigos

Outubro 28, 2009

Essa diz tudo de maneira simples. Lembrei dessa vendo dois amigos bêbados em casa ontem. Assamos uma carne na churrasqueira. Eu tava de ressaca e sem dormir direito. Fiquei só rindo dos dois que matavam uma garrafa de 51. Um deles vacilou certa vez chapado dizendo que o rock nasceu na Inglaterra. O outro nunca perdoou. Fica tirando uma onda falando dos campos de algodão de Birmingham…Tudo bem. Mas esse é o cara que certa vez eu disse pra tirar o sorvete do congelador senão ia congelar. Ele foi…virou e me disse, po, mas ele tá no lugar certo, enquanto eu já me rolava de rir…

Leia aí:

Sou Legal, Eu Sei

Sou legal, eu sei
Agora só falta convencer a lei
Sou real, eu sei
Agora só falta convencer o rei

Eu sei que sou legal
O duro é provar
Que sou legal, eu sei
Mas isso não sei
Se vão deixar dizer
Eu sei que tudo o mais
Vai pro beleléu
A terra, o mar, o céu
Mas nessa hora eu quero mais é estar
Com a turma do pinel

h1

Diálogos pertinentes da madrugada.

Outubro 28, 2009

– Mulher satisfeita não trai.

– Mas você já viu alguma mulher satisfeita?

h1

Jornada dupla, nossa como eu trabalho…

Outubro 26, 2009

…e nessa quinta tem Made in Brazil e Saco de Ratos no Aurora. Jornada dupla de rock and roll e blues to save my soul…

Café Aurora
13 de maio, 112.
Bixiga-SP
10 reais

h1

Robert Crumb – Blues

Outubro 25, 2009

Tô coçando o saco aqui na beira da água salgada. Coisa boa. Se os amigos estivessem por perto moraria por aqui. Deitadão no sofá ouvindo um som e relendo o Blues do Robert Crumb. Uma aula. As traduções de alguns clássicos com as imagens de seus quadrinhos me são mais agradáveis que filmes. E o cara é muito crítico. Tira uma onda das letras, como a chapação de Hendrix em Purple Haze. E os posters de bluesmen antigos que ele faz. Fodaço! Essa onda de HQ com letra de música ficaria bacana em algumas músicas do Saco de Ratos. Boêmios Errantes vejo fácil…”meu melhor amigo é um bacão de bar”. Um taciturno melancólico escorado…

 

 

fdw

 

htnyt

 

rtbtr

h1

Eu vivo sempre stoned, se é que você me entende.

Outubro 24, 2009

Acordei com pouca ressaca mas ainda meio bebum. Andava sozinho pelas ruas do centro de São Paulo, em direção a Sé e o dia me parecia muito agradável. Feliz.  Doses de alcool na veia ajudavam bem….e o fim de uma noite muito agradável. “And I just can’t drink you off my mind”, não me saia da cabeça.

Fui pra uma conversação simpática de inglês e coloquei isso no quadro. Alguns sacaram outros não.

(Jagger – Honk Tonk Women)