Archive for Março, 2009

h1

Março 29, 2009

Bebemos e tocamos. Começamos ao meio dia, fizemos um churrasco na hora e matamos muitas cervejas. Alguns amigos falam demais, outros baixam a cabeça e tocam grandes músicas ao violão. Percebi o quanto minha educação foi completada por letras de músicas verdadeiras que me tocaram como nada nem ninguém conseguiu. Como escola alguma teria competência de. Hoje elas são realmente capazes de me nocautear. Espero que ainda não de maneira fatal. Só espero. E lá vem Neil Young pra me zoar…

From hank to hendrix
I walked these streets with you
Here I am with this old guitar
Doin what I do.

I always expected
That you should see me through
I never believed in much
But I believed in you.

Can we get it together
Can we still stand side by side
Can we make it last
Like a musical ride?

From marilyn to madonna
I always loved your smile
Now were headed for the big divorce
California-style.

I found myself singin
Like a long-lost friend
The same thing that makes you live
Can kill you in the end.

Can we get it together
Can we still stand side by side
Can we make it last
Like a musical ride?

Sometime its distorted
Not clear to you
Sometimes the beauty of love
Just comes ringin through.

New glass in the window
New leaf on the tree
New distance between us
You and me.

Can we get it together
Can we still walk side by side
Can we make it last
Like a musical ride?

Três dias tocando direto, e enquanto vou ao banheiro do Finnegan’s, releio boas frases na parede:

“I’ve learned that we shouln’t wait for a crisis to find out what is important in life…”

 

É. Meus valores.

Anúncios
h1

Harrison

Março 27, 2009

E eu já cantava a bola. A gente sempre sabe, no fundo. Só não quer acreditar na verdade.

Isn’t It A Pity
Isn’t it a shame
How we break each other’s hearts
And cause each other pain
How we take each other’s love
Without thinking anymore
Forgetting to give back
Isn’t it a pity

Some things take so long
But how do I explain
When not too many people
Can see we’re all the same
And because of all their tears
Your eyes can’t hope to see
The beauty that surrounds them
Now, isn’t it a pity

Isn’t it a pity, (oh-o)
Now, isn’t is a shame
How we break each other’s hearts
And cause each other pain
How we take each other’s love
Without thinking anymore
Forgetting to give back
Now, isn’t it a pity

h1

nasci sábio?

Março 26, 2009

Por que será que eu  sempre soube que te dedicaria essa música? Você já sabia.

http://www.youtube.com/watch?v=-Atb30je9Sk

 

É legal tá mais perto da velha verdade. Cantando rock and roll na orelha então….bye, shit. Ouça até o fim.

h1

Março 26, 2009

– Isn’t it so sweet and clear?
– Oh yep, it is.

h1

Californication

Março 23, 2009

Só pra numas de falar que rolam uns puta seriados americanos que a tv brasileira nunca teve culhão de fazer nem parecido. Por aqui todo mundo conhece Two and a Half man. De fuder. Mas o que mais me chapou foi esse que o Marião me passou. Alguém baixou da net. Genial. CALIFORNICATION. Ia anexar uma fto de matar mas não consigo…

h1

Jagger, como o diabo

Março 23, 2009

A música é genial. E acho de fuder como Jagger se coloca na posição do diabo, contando a história do mundo, etc. Nada a ver com acreditar em diabo, ao menos da forma estúpida como os crentes colocam de modo geral. Mas sim, ele como um cara inteligente que te diz que “o que te confunde é a natureza do meu jogo”.

Please allow me to introduce myself
Im a man of wealth and taste
Ive been around for a long, long year
Stole many a mans soul and faith
And I was round when jesus christ
Had his moment of doubt and pain
Made damn sure that pilate
Washed his hands and sealed his fate
Pleased to meet you
Hope you guess my name
But whats puzzling you
Is the nature of my game
I stuck around st. petersburg
When I saw it was a time for a change
Killed the czar and his ministers
Anastasia screamed in vain
I rode a tank
Held a generals rank
When the blitzkrieg raged
And the bodies stank
Pleased to meet you
Hope you guess my name, oh yeah
Ah, whats puzzling you
Is the nature of my game, oh yeah
I watched with glee
While your kings and queens
Fought for ten decades
For the gods they made
I shouted out,
Who killed the kennedys?
When after all
It was you and me
Let me please introduce myself
Im a man of wealth and taste
And I laid traps for troubadours
Who get killed before they reached bombay
Pleased to meet you
Hope you guessed my name, oh yeah
But whats puzzling you
Is the nature of my game, oh yeah, get down, baby
Pleased to meet you
Hope you guessed my name, oh yeah
But whats confusing you
Is just the nature of my game
Just as every cop is a criminal
And all the sinners saints
As heads is tails
Just call me lucifer
cause Im in need of some restraint
So if you meet me
Have some courtesy
Have some sympathy, and some taste
Use all your well-learned politesse
Or Ill lay your soul to waste, um yeah
Pleased to meet you
Hope you guessed my name, um yeah
But whats puzzling you
Is the nature of my game, um mean it, get down
Woo, who
Oh yeah, get on down
Oh yeah
Oh yeah!
Tell me baby, whats my name
Tell me honey, can ya guess my name
Tell me baby, whats my name
I tell you one time, youre to blame

h1

Hey, Bible!!

Março 18, 2009

E aqui estamos nós, meu velho amigo me diz que já são 10 da manhã, cara. Eu ofereço mais uma bebida e ele cede. Whisky por mais duas horas, e mais outros papos, a nossa banda, a banda do grande amigo respeitado Paulão e todas as mulheres que valheram a pena carregada…  e dramas nunca resolviveis. Chega. Sorte do cara do gás que queria encrenca. Passei no banco, não consegui transferir a grana que devo e fui embora. Duas quadras de passos lembrei do Dylan há pouco devolvido e do Chet Baker ainda não lido, esquecidos no caixa eletrônico. Corri de volta e vi a simpatia que se encontra quando não se procura. Os guardas do banco me tiraram um sarro e perguntaram o nome do livro, autor, edição e o caralho do perdido. Se respondesse, eles devolviam. Ha! Eu não tinha o humor desses brothers quando trabalhava em banco assim. Saí do lugar e me arrependi. Porra, poderia ter dado uma grana pelo que eles guardaram(me vale muito), ou pela simpatia gasta. Voltei. Joguei uma nota de 20 na mão de um deles que surpreso disse que não precisava. Dei as costas sem falar nada e fui embora. Porra, que costas erradas. Me envergonhei pela grana dada. Ninguém pediu, não precisava ter jogado esses 20 assim… Sou um cuzão de fato. Aí desço as ruas do centro, pelo Ahangabau.Viro esquina e o crente com o quadrado pintado na calçada me grita que essa “tatuagem e brinco na orelha” são coisa do diabo dominando teu corpo. Ai…Não me fode… Tomei como pessoal. Entrei no tal quadrado “sagrado”  e tirei satisfação: Isso no meu braço e na minha orelha são traços do diabo?  E como todo covarde que se aglutina em quadrados imaginários ele não respondeu na minha cara, o que lhe fudeu o resto de respeito que eu ainda teria da minha parte. Não perdoei….e  como se algum  Deus o faria… Lhe meti a mão na bíblia, que vôou longe, e  mandei o otário tomar no cú. Ainda  esperei por um minuto no tal quadrado pra ver  se Deus ia me castigar(hahahaha), ou ao menos alguém menos covarde ao redor tomar alguma satisfação humana. Ninguém. Saí mandando todo mundo se fuder ou me seguir. Ninguém veio. Improperios temerosos ‘a distância… Silêncio de quem não crê no que vive. Nojo. Deus de bosta os que vocês crêem.